Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

terça-feira, 5 de julho de 2022

Vereadora apresenta projeto que cria selos de incentivo às cozinhas comunitárias

 A iniciativa visa garantir incentivos para cozinhas comunitárias e mobilizar empresas privadas em torno da política de redução da pobreza em Fortaleza.

Adriana Nossa Cara - Foto: Evilázio Bezerra

A vereadora Adriana Nossa Cara (PSOL) apresentou o projeto de lei ordinária nº 274/2022, que cria os selos “Instituição Apoiadora de Cozinhas Comunitárias” e “Cozinha Comunitária Promotora de Segurança Alimentar e Soberania Alimentar e Nutricional”. A iniciativa visa garantir a redistribuição de renda entre instituições da sociedade civil apoiada pelo Poder Público para políticas de redução da pobreza na cidade de Fortaleza.

O selo “Instituição apoiadora de cozinhas comunitárias”, será destinado a agraciar os estabelecimentos e as entidades privadas que colaborarem com a manutenção  de cozinhas comunitárias ou fornecimento de insumos para a produção de alimentos com vistas ao atendimento alimentar e nutricional da população em vulnerabilidade socioeconômica da cidade.

Para o recebimento do selo, o estabelecimento ou entidade deverá cumprir cumulativamente os seguintes requisitos:

  • apoiar financeiramente ou em gêneros alimentícios, por no mínimo 6 (seis) meses, uma cozinha comunitária dentre as listadas, verificadas e previamente divulgadas pela Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS);
  • contribuir na implementação de auxílios e ajudas de custo relacionados ao acesso a recursos fundamentais bem como ações de garantia à nutrição e à segurança e soberania alimentar, dirigidas para melhoria da qualidade de vida, incluindo ações de proteção à criança e ao adolescente e ações de incentivo à agricultura familiar;
  • fazer o cadastro no sítio eletrônico da Prefeitura Municipal de Fortaleza;
  • estar em regularidade com a Receita Federal e em conformidade com as legislações municipal, estadual, federal e internacional, vigentes para o exercício de suas atividades econômicas;
  • não ter condenada em última instância pela Justiça brasileira por trabalho em condições análogas às de escravo e/ou infantil; e
  • não estar na lista de fornecedores penalizados pela Prefeitura Municipal de Fortaleza.

Já o selo “Cozinha comunitária promotora de segurança alimentar e soberania alimentar e nutricional” irá agraciar as cozinhas comunitárias que realizam o atendimento da população em vulnerabilidade socioeconômica da Capital.

Para o recebimento deste selo serão consideradas como cozinhas comunitárias, as iniciativas da sociedade civil voltadas ao combate à insegurança alimentar e nutricional, à pobreza, à miserabilidade, à promoção da dignidade humana pelo direito humano à comida, à soberania alimentar e nutricional, localizadas no município de Fortaleza. Os selos terão validade de até 2 anos, podendo ser renovável. Em caso de descumprimento de algum dos requisitos, o selo poderá ser revogado antes do prazo.

De acordo com Adriana, a demanda surgiu diante do mapeamento da fome e das cozinhas comunitárias que já exercem essas atividades no território do Grande Bom Jardim.” A gente espera que esses selos ajudem a manter essas cozinhas que muitas vezes tiram dinheiro do bolso e não cobram por essas refeições porque elas são ofertadas gratuitamente para pessoas de baixa renda, das periferias aqui de Fortaleza”, destacou a parlamentar.

Foto: Evilázio Bezerra

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site