Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

quinta-feira, 23 de junho de 2022

Abrigo paralisa atividades por falta de doações




A situação do Abrigo São Lázaro, que atua há 30 anos na capital cearense, voltou a chamar atenção da população nesta semana após o anúncio de paralisação das atividades por falta de doações. De acordo com Apollo Vicz, diretor e representante do abrigo, o anúncio foi feito após constatar-se que o local se encontrava em estado crítico. “Já passamos por situações difíceis antes, sempre fomos otimistas. Mas, parece que está piorando a cada dia”, explica.


O diretor detalhou que, atualmente, o São Lázaro abriga mais de 1.200 animais, entre cães e gatos. Por esse motivo, a demanda é de 360 kg de ração por dia, o que resulta em um gasto médio de R$ 2.700 reais diários. “Só com ração os gastos por mês ultrapassam 80 mil reais, fora clínicas veterinárias onde estamos devendo mais de R$ 100 mil, pois nossos resgates são de animais em casos críticos, vítimas de maus tratos, fratura exposta, quinados e etc. Além das contas de energia atrasadas”, relata.

Em outubro de 2021, o Abrigo São Lázaro conseguiu chamar a atenção do Poder Público após anunciarem que estavam encerrando as atividades de resgate por falta de recursos. Na ocasião, o Prefeito de Fortaleza, José Sarto, determinou que a Gestão Municipal faria um repasse anual de R$ 300 mil para a manutenção das despesas do abrigo. Porém, Apollo conta que, por conta desse auxílio, as pessoas deixaram de ajudar. “Recebemos 25 mil por mês e é exatamente nesse repasse que as pessoas deixam de ajudar, achando que esse valor supre as nossas necessidades. Mas, estamos falando de 1.200 animais”, pontua o diretor.

Ao longo de 30 anos, o abrigo já passou por situações difíceis como um incêndio que matou 12 animais adultos e todos os filhotes asfixiados. Porém, para Apollo, este é um dos piores momentos. “Não estamos mais resgatando e nem recebendo animais, por falta de espaço e alimentação”, declara.

O Abrigo São Lázaro realiza, além dos resgates, o controle de zoonoses, a reabilitação de animais, o controle populacional por meio do incentivo à castração e adoção responsável. “O que seria dos animais de Fortaleza, Ceará, do Brasil, se não fossem os abrigos e protetores independentes? Nem quero imaginar”, denuncia o diretor.
Para ele, uma forma de trazer estabilidade financeira para abrigos que realizam trabalhos semelhantes seria se fossem mantidos pelo Poder Público. “Nós somos utilidade pública e fazemos por amor o que deveria ser trabalho deles”, afirma. Para ajudar, a população pode doar para o São Lázaro por meio do Pix CNPJ 13043465/0001-71. Para mais informações sobre outras formas de ajudar, também é possível entrar em contato com a equipe do abrigo no Instagram @abrigosaolazaro.

Neste domingo, 26, o abrigo promoverá o “Mutirão do Banho”, por onde serão recebidas doações de shampoos, sabonetes e produtos de higiene para pets. “Realizar essa visita é uma ótima oportunidade para que as pessoas conheçam o abrigo e para que possam conhecer de fato a nossa realidade e dimensão”, explica Apollo Vicz. O diretor destaca ainda, que os animais que estão sob os cuidados do abrigo são provenientes da sociedade. “A sociedade que foi negligente e cometeu o crime de abandono. Não existe animal de rua, existe animal abandonado, animal não brota do asfalto ou dá em árvore, todos foram abandonados pela sociedade”, declara.
Por Yasmim Rodrigues
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site