Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Municipalismo: Hospitais Municipais Jogados ao Nada



Infelizmente na grande maioria dos municípios cearenses, as estruturas de saúde geridas pelas gestões municipais, vivem um cotidiano depressivo no que se refere a setores fundamentais, como nos atendimentos de urgência e emergência.

A sociedade municipalista, principalmente a menos favorecida economicamente, consegue facilmente observar a total desarmonia das administrações em loco, ou seja, nos hospitais. O que existe em sua quase totalidade é: desorganização, imperícia profissional, falta de compromisso dos gestores no que se refere à proporcionar um serviço qualificado.

Nos últimos dias a imprensa local noticiou verdadeiros absurdos referentes a desestrutura  no atendimento de urgência e emergência em hospitais municipais:

Caso Itatira: O médico teria demorado até 30 minutos para atender uma criança de três anos com quadro febril, constante, a mesma faleceu, segundo familiares, pela falta de atendimento mais qualificado.

Caso Porteiras: Jovem de 20 anos morre em Porteiras e família denuncia que houve negligência médica.

De acordo com a família, o acidente ocorreu no último sábado, 16, e Diego morreu na unidade de saúde na manhã seguinte, apresentando fortes dores na cabeça e vômitos constantes.

De acordo com informações divulgadas pelo Diário do Nordeste, os parentes e a namorada do jovem relataram que o hospital não dispõe de aparelho para tomografia e, desde a entrada de Diego, os familiares pediram a transferência a um município com a estrutura. O relato informa que a médica de plantão teria negado, afirmando que ele apenas ficaria em observação.

Nos dois casos pode-se perceber duas situações: imperícia médica, já que os profissionais não desenvolveram tratamento adequado para manutenção da vida dos pacientes; ou negligencia mesmo, já que não autorizaram transferência em tempo hábil para centros de saúdes mais avançados.

O que falta para os gestores elevarem a qualidade dos serviços de saúde prestados aos hospitais municipais? o governo do estado torna-se ausente ou omisso aos problemas apresentados nos hospitais municipais? As gestões não possuem técnicos qualificados para prospectar financiamentos públicos ou privados , para melhorar as estruturas de saúde?

Ficam aqui estes e outros questionamentos.

FT/WB


Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site