Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2022

Ibama vistoria áreas atingidas por vazamento de óleo no litoral do Ceará

 Fiscalização do Instituto comprova que o incidente está controlado.

Brasília (18/02/2022) - O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), por meio do Núcleo de Prevenção e Atendimento às Emergências Ambientais no Ceará, informa que, após ser comunicado sobre o aparecimento de manchas oleosas em praias do estado, iniciou - no final de janeiro, uma série de vistorias para confirmar a chegada do óleo e prestar orientações técnicas sobre sua remoção e destinação final.

2022-02-16_mon_oleo_praias_CE_IbamaO Ibama esteve nas praias de todo o litoral leste até o município de Fortaleza. Após a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Marinha do Brasil coletarem e analisarem as amostras, foi constatado que o óleo encontrado não é o mesmo do incidente que ocorreu nos anos de 2019/2020.

Durante a primeira vistoria, em Icapuí, a equipe de emergência ambiental verificou a faixa de areia das praias e realizou entrevistas com pescadores, banhistas e bugueiros. Por fim, não foi avistado óleo em nenhuma das praias dessa região.

Manchas foram vistas na praia da Fontainha, município de Aracati, que apresentou dispersos de forma esparsa e contínua até a praia de Lagoa do Mato. A prefeitura do local realizou a limpeza de parte do óleo encalhado, resultando no recolhimento de 37 sacos de resíduos. Nas praias de Majorlândia e Canoa Quebrada, apenas vestígios de óleo - indicando o bom resultado do trabalho de limpeza realizado pela prefeitura de Aracati.

Em Quixaba estava a maior concentração de óleo encontrada pelo Instituto, ficando a prefeitura responsável pelo recolhimento desse material. Na praia do Cumbe o panorama foi semelhante. O recebimento e a destinação desses resíduos foi intermediado pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace).

2022-02-16_oleo_praias_Ceara_IbamaRecentemente, houve registro de óleo na praia de Cumbuco, localizada no litoral oeste. Neste caso, a origem dos resíduos ainda está sendo averiguada. Com apoio da aeronave Poseidon, o Ibama monitorou todo o litoral cearense e não encontrou óleo na superfície do mar.

De acordo com Fernanda Pirillo, Coordenadora Geral de Emergências Ambientais, a comunidade e os agentes públicos “estão engajados e atentos, com a devida prática em como recolher os resíduos de óleo – isso porque passaram por situação similar em 2019”. A região entre o litoral leste e Fortaleza foi monitorada e está sob controle: o Ibama esteve em todas as praias e, ainda de acordo com Pirillo, “não chegou mais óleo. As amostras recolhidas pelo Instituto foram levadas para a Universidade para a devida análise", concluiu.

 

Assessoria de Comunicação do Ibama

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site