Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

quinta-feira, 4 de novembro de 2021

Vai ao Plenário projeto que cria política nacional de incentivo à produção de mel

 

A Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) aprovou na manhã desta quinta-feira (4) o Projeto de Lei (PL) 6.560/2019, que institui a Política Nacional de Incentivo à Produção Melífera e ao Desenvolvimento de Produtos e Serviços Apícolas e Meliponícolas de Qualidade.

A iniciativa visa incentivar a produção de mel de abelhas exóticas do gênero Apis e das abelhas sem ferrão nativas brasileiras. O projeto, que veio da Câmara dos Deputados, recebeu parecer favorável da relatora Soraya Thronicke (PSL–MS) e agora segue para análise do Plenário do Senado.

De acordo com o autor, o deputado federal Evair Vieira de Melo (PP-ES), a organização da cadeia produtiva do setor no Brasil “ainda é muito precária”, principalmente devido à escassez de entrepostos e de casas de mel com equipamentos para a extração do produto e beneficiamento de cera, entre outros serviços necessários à produção apícola.

Segundo ele, outras restrições enfrentadas pelo setor são a falta de assistência técnica e o desconhecimento por parte considerável da população acerca das propriedades e benefícios decorrentes do consumo dos produtos apícolas, assim como do papel desempenhado pelas abelhas na produção de alimentos vegetais e na conservação do meio ambiente.

A relatora concordou com os argumentos do deputado e votou a favor do projeto, sem apresentar emendas. 

“Estamos de acordo que a organização da cadeia produtiva da apicultura e meliponicultura ainda se mostra precária no país. Assim, a proposta deve ser apoiada, já que procura fomentar as condições indispensáveis para criação das bases que propiciem a plena exploração do imenso potencial da apicultura e da meliponicultura nacional. O projeto também apoia os pequenos produtores rurais a melhorarem seus rendimentos e suas condições de vida”, sustenta Soraya Thronicke em seu relatório. 

Crédito, pesquisa e assistência técnica

Entre os instrumentos utilizados pela política nacional, estão o crédito rural para produção, manejo, processamento e comercialização; incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento tecnológico; assistência técnica e extensão rural; seguro rural; certificações de origem, social e ambiental; e instituição de selo de qualidade.

Os órgãos competentes deverão estabelecer parcerias com entidades públicas e privadas, considerar as reivindicações de representantes do setor e dos consumidores e apoiar o comércio interno e externo. Também deverão incentivar o uso de abelhas melíferas na polinização de pomares, fomentar o manejo adequado e o melhoramento genético de espécies e promover o uso de boas práticas na produção e no processamento dos produtos, além de apoiar a organização e a participação de produtores em entidades de classe, cooperativas e associações.

Apicultura e meliponicultura

Apicultura é a criação de abelhas com ferrão, de espécies vindas da África e introduzidas no Brasil no período colonial. Seus produtos são o mel, a cera, a própolis, o pólen, a geleia real e a apitoxina (veneno da abelha). O consumo desses produtos ocorre sob formas variadas: in natura, especialmente no caso do mel, ou após algum processamento pela indústria alimentícia, cosmética ou farmacêutica, a exemplo da cera, da geleia real, da própolis, do pólen e da apitoxina.

Já a meliponicultura é a criação de abelhas sem ferrão, especialmente das tribos meliponini e trigonini. Nela, as colmeias são organizadas em meliponários. Essa atividade era praticada há muito tempo pelos povos nativos da América Latina, em especial aqueles do Brasil e México.

O Brasil conta com aproximadamente 250 espécies de abelhas pertencentes à tribo meliponini. Algumas destas espécies são criadas para a produção de mel, que tem sido cada vez mais valorizado na gastronomia.

Essas abelhas cumprem um papel importante na polinização de plantas, cultivadas ou não, permitindo a produção de sementes de várias espécies, muitas das quais fundamentais para a alimentação humana. Sem a colaboração dessas abelhas, muitas plantas deixam de produzir frutos e sementes, podendo inclusive chegar à extinção.

Fonte: Agência Senado

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site