Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Embrapa é duplamente homenageada com o prêmio Mérito Agropecuário da Câmara Federal

 Foto: Eliane Hayami

Eliane Hayami - O Diretor de P&D, Guy de Capdeville, ressaltou a economia de milhões de hectares de áreas nativas proporcionada pelas tecnologias pouoa-terra

O Diretor de P&D, Guy de Capdeville, ressaltou a economia de milhões de hectares de áreas nativas proporcionada pelas tecnologias pouoa-terra

A própria instituição e o pesquisador Paulo Martins estão entre os 11 homenageados de 2021

 

A Embrapa recebeu dois prêmios “Mérito Agropecuário Deputado Homero Pereira 2021” durante solenidade na Câmara Federal nesta quarta-feira (27/10). A instituição, representada pelo presidente em exercício, Guy de Capdeville, e o pesquisador da Embrapa Gado de Leite Paulo Martins foram homenageados pelo destaque que obtiveram ao longo do ano nos campos da pesquisa, desenvolvimento e inovação em prol da sustentabilidade da agropecuária. O prêmio é outorgado todos os anos pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Capadr) e pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados a cidadãos e instituições públicas e privadas.

Capdeville recebeu aplausos da plateia em meio ao discurso, no qual ressaltou o impacto das tecnologias poupa-terra para o aumento da produtividade sem a necessidade de expansão de terras. O diretor de P&D, que representou o presidente Celso Moretti na solenidade, destacou que para manter a produtividade atual da soja com as tecnologias que o Brasil possuía na década de 1970 seria necessário um aumento de área da ordem de 200%. “Graças ao aporte de tecnologia no campo, foi possível economizar mais de 70 milhões de hectares de terra só na cadeia produtiva da soja”, ressaltou, lembrando que as tecnologias poupa-terra impactaram também a pecuária de corte no Brasil, cuja produtividade aumentou em 80% sem expansão de um hectare de área sequer.

O diretor explicou que o levantamento do uso dessas tecnologias em oito cadeias produtivas – fruticultura, algodão, café, milho, soja, pecuária de corte, suínos e aves – por mais de 50 pesquisadores e analistas da Embrapa resultou na publicação Tecnologias Poupa-Terra 2021 lançada em abril de 2021, em comemoração ao 48º aniversário da Embrapa. “Essa publicação foi traduzida para o inglês e será apresentada na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), que começa na próxima semana. É uma oportunidade estratégica para o Brasil mostrar ao mundo que a nossa agricultura é de fato sustentável”, pontuou Capdeville.

Leia mais em Tecnologias poupa-terra preservaram mais de 70 milhões de hectares em áreas plantadas com soja no Brasil

A Embrapa foi indicada para o prêmio pelo 1º Vice-Presidente da Comissão, Deputado Nelson Barbudo (PSL/MT).

Paulo Martins, pesquisador da Embrapa Gado de Leite, cuja indicação ao prêmio foi feita pelo Deputado Charlles Evangelista (PSL/MG), na categoria “Pesquisador Mérito Científico”, também ressaltou a importância da participação do Brasil na COP26. Martins, que foi premiado por sua contribuição à pecuária leiteira no Brasil, enfatizou que o evento será determinante para divulgar aos outros países que a pujança do agro brasileiro é fruto de muita cooperação entre instituições públicas e privadas de pesquisa e, especialmente, pela coragem e empreendedorismo do produtor brasileiro, que é muito receptivo à ciência. “A competência das instituições aliada à coragem dos agricultores se traduz em inovação para o agro”, pontuou. O pesquisador lembrou ainda que a COP26 vai inaugurar uma nova era para o agro mundial, a de Carbono Zero, e o Brasil será um dos protagonistas. “Enquanto muitos países estão aprendendo, nós já temos a carne carbono-neutro e estamos em fase de desenvolvimento de produtos na mesma linha com leite e soja”, concluiu.

Agro forte, Brasil forte

 

A presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, Deputada Aline Sleutjes (PSL/PR), destacou a importância da premiação que, anualmente, homenageia os vários atores que fazem o agro brasileiro mais forte, como: produtores, professores, cientistas e as instituições, que fazem a ponte para que a tecnologia e o conhecimento cheguem ao campo brasileiro.

Este ano, esse prêmio tem ainda mais importância, na visão da Deputada, pois mesmo com a pandemia da Covid19, o agro mostrou que não parou e continua sendo o motor da economia brasileira, com reconhecimento internacional “E graças às pessoas que trabalham no campo, não faltou alimento na mesa da população”, acrescentou.

Aline, que é a primeira mulher a presidir a Capadr, destacou que todos os anos são escolhidos 11 agraciados nas categorias agricultura familiar, pesquisa e desenvolvimento agropecuário, inovação tecnológica, personalidade do agronegócio, pesquisador mérito científico, preservação agropecuária, produção agropecuária, empresa destaque rural, representatividade rural, sustentabilidade e memória política.

Ela falou sobre o Deputado Homero Pereira, que dá nome ao prêmio. Ele foi um produtor rural, que fez da defesa da agropecuária brasileira a causa da sua vida. Ao longo dos seus dois mandatos como Deputado Federal, foi líder da Bancada Ruralista na Câmara dos Deputados, Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária e, entre outras iniciativas, participou ativamente da aprovação do novo Código Florestal.

Acompanhada dos Vice-Presidentes da Comissão, Deputado Nelson Barbudo, Deputado José Mário Schneider (DEM/GO) e Deputado Paulo Bengtson (PTB/BA), Aline afirmou que o papel do Parlamento e, em especial, da Comissão é defender o agro brasileiro independentemente de bandeiras e ideologias.

 

Os agraciados com o Mérito Científico em 2021

A Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, também foi agraciada com o prêmio outorgado pela Câmara Federal na categoria “Personalidade do agronegócio 2021”. Em seu discurso de agradecimento, ela parabenizou a Comissão pela escolha da Embrapa, já que o sucesso do agro brasileiro hoje é resultado de anos de pesquisa, ciência e tecnologia desenvolvidos pela Empresa em parceria com outras instituições de pesquisa e ensino públicas e privadas.

Tereza Cristina ressaltou também o protagonismo do produtor rural brasileiro, sempre ávido e aberto a novas tecnologias. “Graças a essa união exitosa entre a ciência e o campo, o agro brasileiro é motivo de orgulho para todos nós”, destacou.

A Ministra reforçou ainda que a COP26 será um momento estratégico para reafirmar a importância da sustentabilidade por trás do agro brasileiro para os demais países. “Estamos caminhando para ser a maior economia verde do planeta”, concluiu.

A Afubra (Associação dos Fumicultores do Brasil) foi premiada na categoria “Sustentabilidade” pelo projeto “O verde é vida”, que tem levado educação socioambiental a 120 escolas de municípios da região Sul do País, envolvendo 18 mil pessoas, entre alunos e professores. O prêmio foi recebido pelo presidente da Associação, Benício Werner, que destacou a importância da iniciativa para a valorização da família no campo.

A CNA, premiada na categoria “Representatividade Rural”, foi representada por seu vice-presidente, Mário Borba. Ele reafirmou o compromisso da instituição com os produtores brasileiros de todos os portes, pequenos, médios e grandes.

O pesquisador Ernest Götsch, premiado na categoria “Preservação Agropecuária” por seu pioneirismo na implantação da agricultura sintrópica no Brasil, não pôde comparecer e foi representado pelo Deputado Pedro Uczai (PT-SC). Trata-se de uma forma de produção que prega a mescla de cultivos agrícolas com florestais, atuando na recuperação de recursos e incorporando conceitos ecológicos ao manejo de agroecossistemas.

O prêmio in memoriam política, outorgado ao ex-governador do Acre Francisco Wanderely Dantas, foi recebido pela viúva Leila Dantas. Ela reforçou a importância do trabalho dele no desenvolvimento da agropecuária no estado.

A Granja Faria, vencedora na categoria “Empresa Destaque Rural”, foi representada por seu presidente Ricardo Faria. Empresa é uma das mais renomadas na produção de ovos no Brasil e envolve investimentos da ordem de 1,3 bilhão de reais.

O Grupo Schmmidt Agrícola, destaque na categoria “Produção Agropecuária” também esteve representado por seu presidente Paulo Schmidt. Segundo ele, a empresa, que já está há mais de 40 anos no mercado de frutas no oeste da Bahia, vem investindo fortemente em tecnologia nos últimos dez anos. “A ciência é a grande responsável pela agricultura competitiva do País”, resumiu.

A Ordemilk Ltda., vencedora na categoria “Inovação Tecnológica”, foi representada por seu diretor Valdir Milan. A honraria foi concedida pela inovação proporcionada pela empresa na informatização da ordenha na pecuária de leite no Brasil.

Na categoria “Agricultura Familiar”, a vencedora foi a produtora Josivane Caiano da Silva, líder comunitária e presidente da Associação dos Produtores e Agricultores Rurais do Assentamento Santa Catarina (PB), que auxilia no plantio de algodão orgânico e desenvolveu um projeto de tingimento natural à base da planta Anileira. Para Josivane, que vem transformando a vida de mais de quatro mil assentados, a integração é que garante a força da agricultura brasileira. “Sem o apoio do Parlamento e das instituições brasileiras, não teria sido possível beneficiar 52 famílias com a produção de algodão orgânico e construir 36 cisternas para atenuar as fortes secas da região Nordeste”, frisou.

Fernanda Diniz (MtB/DF 4685/89)
Secretaria de Pesquisa e Desenvolvimento (SPD)

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site