Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

sexta-feira, 16 de abril de 2021

15 de abril: Dia da Conservação do Solo. A Ematerce tem muito a ver com a data

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará – Ematerce – tem muito a ver com o Dia Nacional da Conservação do Solo, celebrado, anualmente, em 15 de abril. É que, na prestação de assistência técnica agropecuária e gerencial aos agricultores (as) familiares, repassa-lhes, numa troca de saberes, práticas conservacionistas, objetivando evitar a degradação das terras, ocupadas, com o plantio de variadas culturas e a criação de animais, para consumo familiar e dos habitantes das Zonas Rural e Urbana. A data é uma homenagem ao nascimento de Hugh Hammond Bennett (15 de abril de 1881 – 7 de Julho de 1960), considerado o pai da conservação dos solos nos Estados Unidos e o criador do Serviço de Conservação de Solos americano.

Segundo o PhD Engenheiro Agrônomo Nizomar Falcão Bezerra, lotado no Escritório Estadual da Ematerce, na Gerência de Apoio Técnico (Geate), autor do Manual de Instalação dos Núcleos de Irradiação de Tecnologias (NIT), escrito com a ajuda de técnicos da empresa, referente à preservação ambiental, afirma: “É a essência da assistência técnica e extensão rural (Ater), em virtude de, sem um ambiente equilibrado, não há que se falar de Agricultura rentável, social e economicamente”.

Disse também: “Nesses termos, a Ematerce, historicamente, tem se preocupado em orientar os agricultores a conservar, em suas propriedades, notadamente, os recursos solo, água e vegetação”. Assegura ainda que o desequilíbrio ambiental é a causa maior da amplitude do ataque e recrudescimento de pragas e doenças às plantas e animais. Por isso, toda a ação extensionista, desde sempre, está presente em múltiplos programas e projetos, voltada para essa finalidade.

Nizomar Falcão acrescenta que a conservação do solo é fundamental para a produção agrícola. Nas regiões semiáridas, é essencial, para evitar a erosão dos solos em todas as suas formas. A Ematerce, desde épocas remotas, vem orientando os agricultores com práticas que minimizam costumes tradicionais, como colocar o gado nas áreas agrícolas para aproveitar os restos culturais e os capins que nascem, nos períodos chuvosos, às vezes, tão intensamente, no chamado sobrepastoreio, que coloca em risco as camadas férteis do solo.

Para ele, uma prática muito utilizada, orientada pela Ater, para os agricultores familiares, são os sistemas agrosilvopastoris, que procuram integrar as atividades florestais, com as lavouras de segurança alimentar humana e animal e a manutenção das florestas. Esse sistema, associado a outras práticas, harmoniza a produção de grãos, fibras, madeira para lenha ou manutenção das cercas das propriedades, produção de leite, carnes e até mesmo energia, no mesmo local. Esse sistema conserva o solo, enquanto permite a diversificação de múltiplas atividades integradas e proporciona aos animais uma melhoria do bem-estar animal.

Legenda: uso de palhadas para cobertura morta.

Prosseguindo, afirma que o incentivo ao uso de adubos orgânicos e à manutenção dos capins, sobre o solo, após o período chuvoso, permite o enriquecimento dos solos pelo uso de plantas, enriquecendo e melhorando sua estrutura física e biológica. A rotação de culturas é uma prática que permite alternar, em um mesmo espaço físico, diferentes culturas, numa sequência programada; assim como: a adubação verde, com o plantio de leguminosas para incorporação, especialmente pela fixação do nitrogênio atmosférico aos solos.

Outra prática muito orientada é o plantio em faixas de largura variável, para, alternada e anualmente, sejam cultivadas plantas, as quais protejam o solo, especialmente, aquelas que possuem copas mais densas. Além dessas, é possível agregar muitas outras, tais como: alternância de capinas; cobertura morta; reflorestamento; irrigação; controle de queimadas; recomposição de mata ciliar; drenagem de áreas encharcadas; construção de caminhos de serviço;) barragens subterrâneas; paliçadas; construção de barreiros;) abastecedouros: manejo de pastagens.

Legenda: mudas para ajudar no reflorestamento.

Vale salientar que a coordenação estadual, no âmbito da Ematerce, da conservação do solo e água, para convivência com o semiárido, está sob a responsabilidade do Engenheiro Agrônomo, Mestre em Solos, Josualdo Justino Alves, que vem realizando, com a ajuda de colegas de trabalho e agricultores, ações impactantes, alusivas à conservação do solo e água, na região semiárida cearense, como na comunidade Mandacaru, município de Irauçuba-CE.

O assessor estadual da Ematerce, Josualdo Alves (foto acima), fundamentado nas limitações do semiárido, declarou que a Ematerce tem orientado agricultores (as) a recompor a composição florística dos estabelecimentos agropecuários, implantando e recuperando, mediante distribuição de essências nativas, sejam produtoras de madeiras, forrageiras ou frutíferas, o reflorestamento de franjas de rios, riachos e nascentes de água, assim como a implantação de bosques de refúgio da fauna. Menciona que a fazenda Normal, propriedade da Ematerce, em Quixeramobim-CE, e os Núcleos de Irradiação de Tecnologias (NITs) possuem um conjunto de práticas de conservação ambiental.

CONSERVAÇÃO DO SOLO E ÁGUA

Importante mencionar que a Ematerce utiliza, referente à conservação do solo e água, as práticas mecânicas, ou seja, práticas agrícolas, para conter o processo de erosão dos solos cultivados, a partir da construção de estruturas artificiais, com a finalidade de proteger o solo e sua destruição. Dentre as principais, citadas por Josualdo Alves, destacam-se: o terraço de retenção, o terraço mais bacia de captação, os cordões de pedra, a captação “in situ”, a escarificação, a descompactação, a adequação de caminhos de serviços e as bacias de captação, a barragem de contenção de sedimentos e a barragem subterrânea.

Legenda: quintais produtivos, com preservação do solo, de diversas culturas.

De acordo com as informações, constantes no Manual de Instalação dos Núcleos de Irradiação de Tecnologias (NITs), especificadas por Josualdo Alves, são orientadas, também, as práticas edáficas, de naturezas conservacionistas, aplicadas ou conduzidas. O objetivo é reduzir, ou controlar os processos erosivos, principais agentes degradadores do solo e melhorar, ou manter os padrões de fertilidade do solo. As principais práticas agrícolas, orientadas pela Ematerce, dizem respeito, outrossim, à eliminação ou controle das queimadas, à adubação verde, à adubação orgânica e à calagem. No tocante às práticas vegetativas, referem-se à utilização de plantas ou de massa vegetal, para protegerem o solo dos processos erosivos, a exemplo do plantio direto, da cobertura morta, da recuperação de área com inóculo de serapilheira e da recomposição de mata ciliar.

DIA DA CONSERVALÇÃO DO SOLO

Legenda: em solo preservado, com tratos culturais e com orientação da assistência técnica e extensão rural, além de se evitar a erosão, a safra apresenta resultados satisfatórios.

A data é uma homenagem ao nascimento de Hugh Hammond Bennett (15 de abril de 1881 – 7 de Julho de 1960), considerado o pai da conservação dos solos nos Estados Unidos e o criador do Serviço de Conservação de Solos americano.

Este dia foi instituído pela Lei 7.876, em 13 de novembro de 1989, por iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e surgiu com o objetivo de aprofundar os debates sobre a importância do solo como um dos fatores básicos da produção agropecuária e a necessidade de seu uso e manejo sustentáveis.

 

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site