Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Cultivo em ambiente protegido é sucesso na Ibiapaba

 Cultivo em ambiente protegido é sucesso na Ibiapaba

Escrito por ,  

Com telados e estufas, o plantio de frutas e legumes acontece com maior produtividade e um consumo menor de agrotóxicos. O investimento tecnológico tornou a região referência no Estado

Legenda: Cultivo em ambiente protegido favorece produção de tomate, cultura bastante vulnerável às pragas
Foto: Arquivo

Difundido a partir de 2006 com a floricultura, o cultivo em ambiente protegido se tornou fundamental na região da Ibiapaba há, pelo menos, uma década. Municípios como São Benedito e Guaraciaba do Norte se notabilizaram, nos últimos anos, por este tipo de produção que reduz o ataque de pragas, aumenta a produtividade e agrega valor aos frutos e legumes. A partir de telados e estufas, o resultado tem sido significativo para o investimento.

O produtor Gleyson de Sousa Silva, 36, de São Benedito, iniciou o trabalho em cultivo protegido em 2014, junto com dois irmãos. A herança do trabalho no campo vem do pai, que já na década de 1980 trabalhava com milho, feijão e mandioca. Depois, a partir da compra de um motor, para melhorar a irrigação, ampliou para tomate, cenoura, beterraba e couve-flor. "A gente tinha muita perda por praga, principalmente a broca pequena".

Há seis anos, iniciou com a produção de tomate em 2.500m². No ano seguinte, quadruplicou para um hectare. Hoje, já soma três hectares que são cultivados paralelamente com o maracujá. "Quando termino a colheita do tomate, na mesma hora já fica do maracujá. Tem toda estrutura montada. Quando precisa ser substituída, remove. Às vezes, também faço com pimentão", descreve Gleyson.

Resultados

O tomate é uma cultura que sofre muito com pragas, além da broca, somam-se a traça e a mosca minadora. "Produzir sem ser em ambiente protegido é inviável", acredita o produtor. Gleyson calcula que, na época em que trabalhava em campo aberto, principalmente em período chuvoso, a perda chegava a 70%. Hoje, soma de 80 a 100 toneladas do fruto por hectare. "Além disso reduzi o uso de agrotóxicos em 75%. Outras conseguem eliminar até 90%. Além da produtividade maior, pode-se apostar no cultivo orgânico, que agrega valor", exemplifica.

Atualmente, Gleyson comercializa a produção para a Central de Abastecimento (Ceasa) de Tianguá. De lá, através de distribuidores, as hortaliças da região da Ibiapaba chegam ao Piauí, Maranhão e até ao Pará. O analista de mercado da Ceasa, Odálio Girão, observa que o maracujá tem se destacado pelo padrão de qualidade, a boa apresentação no mercado e o preço diferenciado. Hoje, a caixa de 18 quilos custa R$ 23, o mesmo no entreposto da Ceasa na região do Cariri, por exemplo, mas que é oriundo do Pernambuco.

O morango também vem se valorizando e garantindo boa renda. A caixa, na Ceasa de Tianguá, custa R$ 25, colhida na própria região, enquanto no Cariri, que é procedente de Minas Gerais, varia de R$ 20 a R$22. "Já tem um padrão de exportação, e os produtores estão se aperfeiçoando em outras culturas, como o abacate-betânia, que tinha um padrão escuro e se tornava prejudicial para se colocar no mercado", exemplifica Odálio.

Investimento

O gerente regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), em São Benedito, Carlos Dias, acredita que o controle sanitário intenso foi responsável pela ampliação do uso das tecnologias. Porém, o investimento ainda é alto: o custo de telado em uma área de 12x50m fica em torno de R$ 30 mil. Já Gleyson calcula um gasto médio de R$ 50 mil por hectare, somando mão de obra. "Mas vale a pena com certeza", reforça o produtor.

Para implementar, geralmente os produtores conseguem apoio nas próprias lojas ou através de um empréstimo bancário. "Quando colhe, faz o pagamento", exemplifica Carlos. A vida útil de um telado varia de cinco a seis anos. "Como garante uma produtividade boa, compensa", reforça o gerente da Ematerce. O próprio órgão estadual oferece assistência técnica aos agricultores, uma das exigências para conseguir crédito bancário. O interessado pode procurar o escritório regional em São Benedito

Share:

Um comentário:

  1. Muito bom saber que existe uma web radio dirigida ao ambiente rural cearense, trazendo a boa musica nordestina e noticias sobre os empreendimentos agricolas do nosso Estado. Parabens aos idealizadores!

    ResponderExcluir

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site