Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

sexta-feira, 6 de novembro de 2020

Em Parambu, Paulo Freire combate à extrema pobreza e gera inclusão produtiva

 

Em Parambu, Paulo Freire combate à extrema pobreza e gera inclusão produtiva

4 DE NOVEMBRO DE 2020 - 17:56

Texto: André Gurjão | Vídeo: Cáritas Diocesana de Crateús

Na comunidade Pau Preto, município de Parambu, o Projeto Paulo Freire combate a extrema pobreza rural com inclusão social e econômica. A iniciativa da Secretaria do Desenvolvimento Agrário entrega 50 projetos em apicultura (9 projetos), artesanato (11), avicultura (17) e ovinocultura (13) e acompanha as atividades produtivas por meio da Assessoria Técnica Contínua realizada pela Cáritas Dioceasana de Crateús.

Tocador de vídeo
06:32
06:32

“Admirei a ação do Paulo Freire junto à Cáritas porque, primeiro de tudo, eles fizeram um diagnóstico completo da nossa comunidade: o que tinha e as necessidades”, testemunha o agricultor familiar Antônio de Melo. “No caso da apicultura, recebemos as melgueiras, as colmeias, as instruções e todos os equipamentos necessários para que, hoje, a nossa comunidade pudesse já estar produzindo 1,8 toneladas de mel neste ano”.

Na ovinocultura, a chegada dos reprodutores puros de origem permitiu o melhoramento genético e o suporte forrageiro, com o fornecimento de sorgo e palma, aliado à assistência técnica, garantiu a sustentabilidade do rebanho e o aumento no número de matrizes. “Todas as famílias já receberam os animais e quem já tinha duas matrizes, hoje já está podendo ter cinco matrizes e dar continuidade ao projeto”, reconhece.

“Na parte da avicultura, que foi o projeto que escolhi, recebemos 680 pintos, ou 40 por beneficiário) em março, parte deles foram comercializados e eu fiquei com as fêmeas para dar continuidade à produção. Agora, no segundo semestre, recebi a outra parte e o que desejamos é podermos comercializá-los, ou estarmos utilizando eles para melhorar a alimentação da nossa própria família”.

Por fim, no artesanato, o grupo “Mulheres Unidas em Ação”, formado em março do ano passado participou de um intercâmbio na comunidade Irapuá, município de Nova Russas, e recebeu capacitação em crochê e manuseio de máquinas. O principal resultado do projeto, além da venda de jogos de cama, panos de prato, toalhas de banho, crochê e pintura em tecido, é a participação delas no coletivo Covid Radar.

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site