Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

sábado, 26 de setembro de 2020

Fogo destrói bananeira e pastagem na zona rural de Iguatu

 Fogo destrói bananeira e pastagem na zona rural de Iguatu


Escrito por , 

Pelo menos seis fazendas foram atingidas

Um bananeiral foi atingido parcialmente e outro totalmente destruído
Legenda: Um bananeiral foi atingido parcialmente e outro totalmente destruído
Foto: Wandenberg Belem

Uma área estimada em 30 hectares de pastagem e de bananeira foi destruída pelo fogo na localidade de Cangati, na zona rural de Iguatu, no distrito de Barro Alto. Pelo menos seis fazendas foram atingidas e em uma delas a destruição foi total: plantio, cercas, estacas e sistemas de irrigação. Os produtores rurais ainda não calcularam o prejuízo, mas avaliam em torno de R$ 60 mil.

fogo começou na margem do Rio Jaguaribe e rapidamente se espalhou para os núcleos de produção. A vegetação seca do pasto e de restos culturais entre os pés de banana e o vento forte na tarde desta quinta-feira ajudaram a espalhar as chamas. “O fogo foi o maior que já tivemos, muito rápido, em 20 minutos tinha consumido tudo”, contou o produtor, Francisco Pereira Macedo Júnior. “Assustou todo mundo”.

Fogo chegou muito rápido, segundo agricultores
Legenda: Fogo chegou muito rápido, segundo agricultores
Foto: Wandenberg Belem

Com ajuda de dois trabalhadores e parentes, Júnior conseguiu evitar que as chamas invadissem a área de produção de banana. “Ligamos o motor, pegamos mangueira e conseguimos barrar o fogo”, contou. “Perdi uns cinco hectares de pastagem e tive um prejuízo de R$ 8 mil, mas evitei o estrago maior na destruição do sítio de banana”.

Já na fazenda dos herdeiros do produtor José Colares, o fogo causou destruição total de pastagem, plantio de banana, cercas e os sistemas de irrigação. “Queimou tudo”, contou o produtor rural, Carlos Palácio. “Vi o incêndio e é de partir o coração”.   

Os agricultores comentam sobre a rapidez do fogo. “Vi a fumaça e pensei que era um fogo no leito do rio que tá seco, mas quando menos esperei as chamas vieram pra cima com tudo, muito rápido”, disse o produtor Adriano da Silva, que também é motorista de transporte escolar. “Um ônibus estava parado por causa da pandemia, e quase não consigo tirar do lado casa”.

Os produtores contam que nos últimos anos ocorrem focos de incêndio na vegetação a partir da margem esquerda do Rio Jaguaribe, mas nunca na intensidade deste último evento. “Alguém passa e coloca fogo, mas ninguém nunca vê”, disse Júnior. “O ruim também foi a fumaça nas casas, em que moram idosos, e alguns estão se recuperando de Covid-19”.

Os Bombeiros foram acionados e conseguiram debelar as chamas que já estavam em menor intensidade. O tenente-coronel Nijair Araújo, comandante dos Bombeiros em Iguatu, disse que o segundo semestre representa uma média de 90% dos focos de incêndios em vegetação, no Centro-Sul cearense.

“Infelizmente a questão preventiva e educativa não está funcionando, daí a importância de denúncias, uma vez que esses incêndios decorrem de ação humana de forma criminosa e negligente”, pontuou Nijair Araújo.

Fogo destruiu tudo na fazenda
Legenda: Fogo destruiu tudo na fazenda
Foto: Wandenberg Belem

O comandante Nijair Araújo disse que há duas unidades de combate a incêndios em vegetação no quartel de Iguatu. “Muitas vezes não conseguimos atender as ocorrências que são ao mesmo tempo em municípios diferentes e há a dificuldade de acesso na mata com três horas de caminhada e até dez horas de combate”.  

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site