Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

sábado, 12 de setembro de 2020

Ematerce: dirigentes e extensionistas assistem a uma aula sobre alimentação alternativa para galinhas caipiras

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) prosseguiu, na manhã de quarta-feira, 9 de setembro de 2020, com o ciclo de videoconferências, transmitidas pelas plataformas Zoom e Youtube, para dirigentes e extensionistas da capital e do interior. A fase teórica ficou a cargo do Engenheiro Agrônomo Antônio Zilval Fonteles, da Gerência de Apoio Técnico (Geate), e a fase prática pelo Zootecnista Francisco Caio Vasconcelos, do escritório de Santana do Acaraú-CE, sendo colaboradora a Professora-Doutora Cláudia Goulart de Abreu.



Na abertura, o presidente da Ematerce, Antonio Rodrigues de Amorim, (foto acima) referiu-se à importância de a empresa preocupar-se com a assistência técnica e gerencial, de qualidade, prestada aos agricultores familiares, seu público-alvo, pelo fato de a criação correta de galinhas caipiras ser um alimento sadio, para consumo familiar, além de uma fonte de renda a mais, que ajuda a melhorar o padrão de vida, mediante a venda de ovos e carne, produtos esses do agrado dos consumidores, tanto das cidades, quanto da zona rural e vendidos a um preço mais elevado no mercado consumidor.

Frisou ainda que, numa reunião, com representantes do Fida (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola), foi perguntado acerca da atuação da Ematerce e ficaram satisfeitos com o que lhes foi informado. Amorim, então, asseverou ser importante, para a empresa, o aprovo do Fida, visto abrir horizontes para empresas de Ater poderem ter esse tipo de atividade financiada por esse Fundo Internacional, o que ajudaria muito o desenvolvimento dessa atividade pecuária.

Destacou, também, que, quando consultou o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, constatou que a Avicultura contribui com 14 bilhões de reais, enquanto o feijão representa 9 bilhões de reais. Mediante a superior arrecadação da Avicultura, a Ematerce pode reforçar a criação de aves, que contribuirá para fortalecer a economia cearense. Como procede, normalmente, ao abrir palestras e reuniões, Amorim agradeceu a presença dos extensionistas e elogiou a iniciativa dos palestrantes, competentes técnicos e especialistas nesse assunto, além da colaboração do grupo da Agroecologia da Ematerce, nas pessoas de Fernanda Aquino e Sidônio Vieira, com a colaboração da Professora-Doutora Cláudia.

O primeiro, a expor seus conhecimentos teóricos, foi Antonio Zilval Fonteles, (foto acima) que agradeceu ao presidente Amorim pelas gentis palavras, a seu respeito, e ao colega Caio, e a colaboração da Doutora e Professora Cláudia Goulart, afora o interesse dos colegas da empresa, que somaram o número superior a 80. Zilval enfatizou serem a soja e o milho essenciais, na alimentação das aves, e os custos de produção representam 70%. Levando em consideração os preços atuais da saca de soja custar R$ 125,00 e a do milho R$ 55,00, tem-se de encontrar alimentos alternativos, para não inviabilizar a criação de galinhas caipiras por parte dos agricultores familiares. Em seguida, com o uso de lâminas, foi iniciada a apresentação do que os palestrantes prepararam, para explanar, com o apoio dos responsáveis pela Agroecologia, no âmbito da Ematerce, os técnicos Sidônio Vieira e Fernanda Aquino, ambos da Geate.

Dentre as lâminas mostradas, destacaram-se o bem-estar animal, ou seja, a qualidade de vida física e mental do animal, as liberdades de movimento, aves livres de fome e sede, de estresse e de doenças, incluindo explicações sobre a funcionalidade das instalações, benfeitorias essas, as quais, associadas à tecnologia adequada ao trabalho, permitem ao agricultor familiar alcançar seus objetivos, desde que pratique as orientações, repassadas pelo extensionista, no tocante à instalação simples, confortável, adaptada à região e com dimensões corretas.

Concernente aos fatores limitantes, na alimentação das aves caipiras, estas devem ter à disposição uma área cercada, sombreada, denominada piquete, para exercício ou alimentação. Foi lembrado que, na área do piquete, a sombra fornece conforto térmico às aves, podendo ser obtida com árvores existentes, ou usando “sombrites”. Quanto aos cuidados com o comedouro e bebedouro, precisam ser instalados em ambientes limpos e de fácil acesso às aves. Também foram explicitados alguns produtos que podem ser acrescentados à agua e à alimentação, que ajudarão a fortalecer o organismo e a saúde delas.

EMATERCE

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site