Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Pesquisa do Procon aponta variação de 249% no quilo do pimentão e alta nos preços dos supermercados


Pesquisa do Procon aponta variação de 249% no quilo do pimentão e alta nos preços dos supermercados

É a quarta alta de preços consecutiva nos últimos quatro meses. Foco da pesquisa são 60 produtos de primeira necessidade

Legenda: Segundo a pesquisa do Procon, o pimentão mais caro foi encontrado nos supermercados em Fortaleza por R$ 10,45. E o mais barato, por R$ 2,99
Foto: Agência Brasil
Alimentos e outros produtos nos supermercados de Fortaleza tiveram alta de 1,01% nos preços, segundo pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza). O levantamento foi divulgado nesta terça-feira, 18 de agosto. Alguns itens registraram uma grande variação de valores, a exemplo do pimentão (249,4%) e da laranja (142,8%). 
É a quarta alta de preços consecutiva dos últimos quatro meses. As regionais do Centro, V e II concentram mais elevações de preços. O valor dos 60 ítens de primeira necessidade considerados pela pesquisa somou, neste mês de Agosto, a média de R$ 488,43. Em julho, a mesma conta ficou em R$ 483,54. 
Além do pimentão e da laranja, a maior variação registrada pela pesquisa foi no preço do mamão, com 88,05% na diferença de valores entre a opção mais barata (R$ 1,59) e a mais cara (R$ 2,99). 
O Procon disponibiliza a pesquisa completa, com os preços dos produtos em todas as regionais de Fortaleza, pelo aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, e ainda no portal da Prefeitura de Fortaleza
Divisão
A coleta de preços para a pesquisa é feita presencialmente e divide itens de alimentação, produtos de higiene adulta e infantil, e limpeza doméstica. O levantamento, no entanto, não tem caráter de fiscalização. 
Ainda assim, os consumidores podem denunciar preços abusivos pelo 151, das 9h às 18h, de segunda a sexta. Ou ainda fazer a denúncia pelo aplicativo Procon Fortaleza. O órgão investiga a elevação de preços sem justa causa, conforme os termos do Código de Defesa do Consumidor.
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site