Clique aqui na imagem e ouça a Web Rádio ao vivo

Pages

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Assaré: primeira reunião presencial de 2021 é realizada no escritório da Ematerce

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) de Assaré sob o comando da gerência atual, o servidor Antônio Gilson Gomes, realizou, na última quarta-feira (28 de julho) a primeira reunião técnica e administrativa do exercício de 2021, que foi composta pelo seu quadro técnico dos municípios de Assaré, Antonina do Norte e Tarrafas.

A programação do evento tinha por objetivo apresentar a Avaliação Mensal entre o desempenho individual de cada envolvido nos serviços de ATER dos três municípios.

A agenda dos debates foi apresentada de forma objetiva, que teve início com a expressão de acolhimento e encorajamento para novos desafios durante ou pós pandemia. Na ocasião todos puderam externar suas experiências e aprendizado frente a Ematerce, projetos e programas.

Reunião presencial no escritório da Ematerce de Assaré.

Pelo exposto foi possível perceber que a equipe estava, há bastante tempo, com deficiência em executar um trabalho com melhor reconhecimento, por esse motivo, resolveu-se, durante a reunião, introduzir uma temática motivadora, onde todos mostraram a vontade e o desejo em restaurar suas ideias para contribuir melhor com a Assistência Técnica e a Extensão Rural.

A princípio, a vontade dos extensionistas é de qualificar a competência apresentada por todos e melhorar a qualidade no atendimento aos agricultores e agricultoras familiares, sobretudo agregar e valorizar a importância das nossas parcerias entre as instituições governamentais e não governamentais.

O mais importante foi quanto a redistribuição das responsabilidades entre cada servidor que compõem a equipe pois a cada momento das discussões, onde foi dito que a assistência técnica e extensão rural só era possível executar com excelência, observando a qualidade de um bom planejamento, suas metas, estratégias e a avaliação final entre a programação e a execução dos serviços prestados.

É possível acreditar que teremos uma equipe focada em acertar muito mais, com maior valorização e sempre integrada nas tomadas das decisões e contribuir com a reestruturação a que se pretende implantar nos serviços de extensão rural do Ceará.

Share:

Seminários regionais divulgam Edital do Projeto São José Jovem

  Arte

A partir de amanhã (3/8), a Secretaria de Desenvolvimento Agrário promove uma série de 14 seminários regionais e virtuais para divulgar o Projeto São José Jovem. O pontapé inicial acontece às 9h e mobiliza jovens da região do Vale do Jaguaribe e, no mesmo dia, às 14h, a equipe técnica do PSJ IV conversa com as juventudes do Litoral Leste.

Os links para acessar a reunião pela plataforma Zoom são disponibilizados pela equipe do órgão do Governo do Ceará. “Vamos capacitar e financiar projetos para a juventude rural cearense para 300 jovens terão a oportunidade de criar e apresentar projetos inovadores, com a capacitação e inclusão”, anunciou o governador Camilo Santana.

“Podem participar jovens com 18 a 29 anos, que estuda ou estudou em escolas públicas, que seja da região rural cearense, que tenha ideia ou projeto inovador e, além disso, vontade de conquistar sua autonomia econômica e social, algo que pode trazer ganhos para sua comunidade”, complementou durante cerimônia no Palácio da Abolição.

Share:

terça-feira, 3 de agosto de 2021

Ematerce visita trabalhos no interior do Estado com foco na reestruturação das ações e tecnologias

 As visitas ocorreram de 19 a 30 de julho na presença dos consultores da MBS, da diretoria técnica e o presidente da instituição que ouviram os agricultores assistidos pela Ematerce, além dos gerentes regionais e locais.

 

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), inicio as visitas a campo com o objetivo de escutar os agricultores e avaliar o que pode ser melhorado no processo de atendimento, tecnológico e melhorias internas. O primeiro destino foi o município de Baturité. Na ocasião foi visto o potencial do agro turismo na região e algumas atividades agrícolas que a Ematerce acompanha.

27 de Julho – Terça-feira.

Visita a comunidade Pirangi, no município de Itapipoca. Na primeira visita escutou-se o agricultor Raimundo José, que em sua propriedade foram plantadas, com o auxílio do técnico da Ematerce, Claudio Matoso, mudas de cajueiro anão precoce. Hoje o produtor chega a colher 20 toneladas de castanha por período de safra.

Coleta de 150 kg de castanhas.

Além dos cajueiros, foram plantadas mudas de mandioca da variedade pretinha, o que gera emprego e renda para os agricultores locais na hora do plantio e na hora da colheita e preparo da raiz para a casa de farinha.

Casa de farinha de mandioca.

Posteriormente visitou-se um abatedouro de frango, obtidos com recursos do Projeto São José 3 (PSJ III). O empreendimento tem capacidade para abater 8 mil frangos por turno e, ao entrar em atividade, poderá beneficiar todos os criadores de frango da região.

O equipamento é uma das formas que a Ematerce realiza para fomentar a economia do pequeno e médio produtor.

Diretoria técnica e presidente da Ematerce em vista ao abatedouro de frango.

28 de Julho – Quarta-feira.

O dia foi de visitas aos produtores da comunidade São Domingos, no município de Sobral. Durante a passagem da comitiva da Ematerce, os consultores conheceram o Núcleo de Irradiação Tecnológica (NIT), onde se pode observar as tecnologias utilizadas para aperfeiçoar a agricultura em um pequeno espaço.

Reunião na comunidade São Domingos.

Outro atrativo deu-se ao projeto Cabra nossa, que hoje atende a 226 famílias em 18 comunidades, onde 36 famílias são assistidas pelo projeto somente em Sobral.

Projeto Cabra Nossa.

29 de Julho – Quinta-feira.

Seguindo pela região da Ibiapaba, visitou-se 2 grandes destaques que são auxiliados pela Ematerce. No primeiro momento conheceu-se a COAPOI (Cooperativa agropecuária dos produtores orgânicos da Ibiapaba).

Os cooperados produzem alimentos da agricultura familiar 100% orgânico e abastecem os municípios de Fortaleza, Sobral e Petrolina (Pernambuco) e vende para os mercados dos Estados de Maranhão e São Paulo.

A cooperativa conta hoje com 30 sócios e realizam vendas instituvionais atarvés dos programas Programa Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), embora atendam ao mercado institucional, apenas 20% do faturamento da cooperativa advém das vendas para o Governo.

A cooperativa possui um total de 26 hectares, 11 implementos pelo PSJ e mais de 40 produtos que são produzidos pelos produtoroes.

Couve orgânico produzido pela cooperativa.

A visita seguinte foi à Associação Comunitária Filhas de Santa Luzia, na comunidade Campo de Colve. Uma associação que conta com o trabalho exclusivo de 53 mulheres e foram contempladas com 2 projetos: Uma panificadora e uma indústria de polpas de frutas.

Na panificadora as produtoras vendem bolos, biscoitos e pães de macaxeira, esse projeto teve, em parte, o financiamento do Banco do Nordeste, através do microcrédito destinado a cada produtora,

Panificadora da associação.

A indústria de polpas produz mais de 20 sabores diversos, onde 5 são coletados na própria comunidade, sendo elas: acerola, manga, goiaba, maracujá e cajá.

Através do Programa Hora de Plantar a comunidade recebeu, em 2020, 4 mil mudas de acerola, o que fortaleceu a produção e incentivou as produtoras a darem sequência nesse empreendimento.

Agroindústria de polpas.

30 de Julho – Sexta-feira.

Finalizando a jornada de visitas, pela manhã, no município de Crateús, realizou-se uma reunião com os gerentes a fim de escutar propostas de melhorias para a instituição.

Reunião em Crateús, no auditório Gilmar Pereira de Sousa.

Share:

Mapa prepara novo cadastro nacional para registro de agricultores familiares


O sistema substituirá, de forma gradativa, a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). A nova plataforma será integrada às bases de dados do governo federal.

OCadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF) substituirá, de forma gradativa, a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), que identifica os agricultores familiares, qualifica as Unidades Familiares de Produção Agrária (UFPA) e suas formas associativas organizadas em pessoas jurídicas, possibilitando o acesso às políticas públicas do governo federal.

O lançamento do novo cadastro e o início da transição estão previstos para dezembro de 2021. Até que se conclua todo o processo, a DAP permanece como o instrumento de identificação dos agricultores familiares e suas organizações para fins de acesso às políticas públicas.

O período de transição ocorrerá em um prazo de dois anos e será realizado de maneira gradual. Novas inscrições serão emitidas por meio do CAF à medida que as DAPs vigentes perderem a validade, não sendo necessário que o beneficiário se antecipe ao fim da vigência de sua DAP.

O secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), César Halum, destaca a importância do CAF. “O Cadastro Nacional da Agricultura Familiar é uma das ações mais importantes desta Secretaria. Por meio dele, poderemos propiciar mais transparência e assegurar aos agricultores familiares que as políticas públicas necessárias cheguem, de forma prioritária, aos que mais precisam”.

O Mapa desenvolveu um novo sistema eletrônico para registro no CAF, com mecanismos capazes de reconhecer adequadamente a categoria de produtores rurais definida pela Lei da Agricultura Familiar e pelo Decreto 9.064/2017. Uma inovação é que a nova plataforma será integrada às bases de dados do governo federal, o que possibilitará a imediata validação das informações declaradas pelo agricultor.

As principais diferenças entre o CAF e a DAP referem-se aos requisitos exigidos para a identificação dos beneficiários, que se baseará somente na Lei 11.326/2006 e no Decreto 9.064/2017, e não mais em critérios estabelecidos pelo Manual de Crédito Rural (MCR), como, por exemplo, a limitação da renda bruta da UFPA.

Além disso, o CAF fará a identificação de todas as pessoas da unidade familiar – superando o limite atual de apenas 2 titulares – e permitirá o ingresso das prefeituras municipais na sua rede emissora, o que ampliará os pontos de atendimento ao público interessado em realizar a inscrição.

Nos próximos meses, ocorrerão ações para capacitar e qualificar a rede de emissores da DAP para emitir o registro de inscrição no CAF. Serão capacitados tanto os agentes emissores, para operacionalizar e analisar os registros, como também os servidores das Superintendências Federais de Agricultura (SFAs), para orientar potenciais beneficiários e realizar o acompanhamento e fiscalização das atividades. As capacitações serão anunciadas oportunamente no portal do Mapa.
MAPA

Share:

segunda-feira, 2 de agosto de 2021

Crescem Incêndios registrados no Ceará em 2021

Dos sete primeiros meses deste ano, seis tiveram mais queimadas no comparativo com 2020. O cenário, que já é de alerta, tende a se agravar no último trimestre.

O número de queimadas registradas no Ceará ao longo dos sete primeiros meses deste ano é 91,6% superior no comparativo a igual período de 2020. Entre janeiro e julho deste ano, foram 343 focos de incêndios, contra 179 do ano passado. Os números são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Apesar do substancial aumento verificado neste intervalo, o cenário ainda deve piorar. Isso porque a temporada das queimadas no Estado tende a se intensificar a partir do próximo mês. De agosto em diante, os focos crescem em escalada. A média histórica de queimadas para agosto é de 808 queimadas e, em dezembro, essa média chega a 4.816. 

O aumento exponencial dos incêndios no último trimestre do ano deve-se á combinação das altas temperaturas, ausência de chuva e fortes ventos. Estes fatores, segundo a gerente de meteorologia da Funceme, Meiry Sakamoto, quando unidos são propícios a queimadas e, como agravante, os focos costumam a espalhar em maior rapidez.

A proximidade da temporada quente, com a vegetação seca e ventos fortes no Sertão traz enormes preocupações para a Corporação Militar tendo por base a quantidade elevada de incêndios que ocorreram nos anos anteriores.
Mardens Vasconcelos
Subcomandante do Corpo de Bombeiros de Sobral.
FONTE: Diário do Nordeste.
Share:

Municípios podem aderir ao Programa de Revitalização de Unidades Básicas de Saúde



Os municípios podem aderir, por ofício, ao Programa de revitalização de Unidades Básicas de Saúde, por meio do trabalho de pessoas privadas de liberdade, conforme a Portaria GM/MS 1.698/2021, publicada no Diário Oficial da União. Os interessados e aderentes receberão R$ 30 mil de incentivos financeiros federais por UBS contemplada, para as despesas de revitalização.

Revitalização de UBS
É considerada a atividade de manutenção realizada para conservar ou recuperar a capacidade funcional da edificação e de suas partes constituintes de atender as necessidades e segurança dos seus usuários, visando melhorar suas condições de habitabilidade, incluindo:
– serviços para prevenir ou corrigir a perda de desempenho decorrente da deterioração da unidade, ou de atualizações nas necessidades dos seus usuários; e
– serviços de pintura, reparos em reboco, assentamento de revestimentos cerâmicos, recuperação de áreas degradadas, consertos, marcenaria, serralheria, serviços elétricos e hidráulicos, tratamentos contra infiltração e umidade, entre outras atividades.

Atividades de ampliação, construção, alteração do uso da edificação ou aquisição de material permanente não estão contempladas no Programa.

São objetivos do Programa de Revitalização promover, de forma eficiente, a melhoria estrutural e a revitalização dos espaços físicos das UBS; promover o acesso ao trabalho de pessoas privadas de liberdade, entendendo-o como um determinante social das condições de saúde e de reintegração social; e fortalecer a articulação intersetorial no âmbito do SUS, em especial entre as áreas da saúde e da administração penitenciária.

As pessoas privadas de liberdade aptas ao trabalho, que são aquelas em cumprimento de pena no regime semiaberto e aberto, com idade superior a 18 (dezoito) anos, observada a legislação aplicável.

Os entes federativos aderentes além das obrigações previstas na portaria a seguir relacionadas, deverão cumprir as regras constantes no Termo de Adesão:

– Coordenar, acompanhar e monitorar a execução local do projeto de revitalização;

– Disponibilizar e manter infraestrutura e materiais necessários para a implementação do projeto, como equipamentos de proteção individual, insumos para atividades de revitalização, aluguel de veículos, entre outros;

– Garantir a adequada prestação dos serviços profissionais necessários à execução do projeto, como aqueles desenvolvidos por arquitetos e engenheiros, entre outros;

– Observar as regras aplicáveis aos pagamentos relativos à força de trabalho prisional, como o salário-mínimo, alimentação e vale-transporte, nos termos da Lei no 7.210, de 11 de julho 1984 (Lei de Execução Penal);

– Assegurar a adequada articulação com as Secretarias Estadual ou do Distrito Federal responsável pela administração penitenciária, para o desenvolvimento adequado do projeto de revitalização; e

– Apresentar informações sobre o andamento do projeto, sempre que solicitado, e apresentar, no prazo definido, relatório final da execução do projeto.


Adesão ao Programa

Os entes interessados devem encaminhar ofício à Coordenação de Saúde no Sistema Prisional do Ministério da Saúde (COPRIS/CGGAP/DESF/SAPS/MS), acompanhado do Termo de compromisso do Programa, assinado pelo gestor local de saúde do Município ou do Distrito Federal e o projeto de revitalização por UBS, acompanhado de orçamento detalhado, a ser executado, identificando e justificando a necessidade de revitalização de cada unidade.

É necessário também informar os estabelecimentos prisionais em que as pessoas privadas de liberdade aptas ao trabalho estejam cumprindo pena, preferencialmente no território do ente beneficiário.

Por fim, encaminhar também o Termo de Cooperação, subscrito pelo gestor local de saúde do Município ou do Distrito Federal e pela Secretaria Estadual ou do Distrito Federal de Administração Penitenciária ou órgão congênere, que conterá a previsão de que o estabelecimento prisional indicado conta com pessoas privadas de liberdade aptas ao trabalho do projeto de revitalização e há viabilidade de utilização da referida força de trabalho no cronograma indicado.

Caso o município não possua estabelecimento prisional em seu território, poderá indicar estabelecimentos em Municípios próximos.

De acordo com o normativo, é vedada a inclusão no projeto de revitalização de UBS já contemplada em outros programas e estratégias destinados à execução de obras de construção, ampliação e reforma, mediante repasse de recursos financeiros, no âmbito da Atenção Primária à Saúde, cujas obras estejam em execução ou tenham sido finalizadas em período inferior a 3 (três) anos da data de solicitação de adesão ao Programa de Revitalização.

Transferência do incentivo financeiro e prestação de contas
O repasse do incentivo financeiro está condicionado à publicação da portaria de homologação da adesão ao Programa e será transferido no no Bloco de Manutenção das Ações e Serviços Públicos de Saúde, estando condicionada sua utilização na finalidade do Programa, em despesas de custeio relacionadas às atividades de revitalização de UBS.

O monitoramento do Programa será realizado pela SAPS/MS, por meio da análise dos relatórios de execução do projeto, com informações físicas e financeiras e da análise do relatório final a ser apresentado pelos entes aderentes. A SAPS disponibilizará na sua página eletrônica mais informações do Programa e os modelos de relatórios.

O monitoramento da execução do Programa de revitalização de UBS pela SAPS/MS, não dispensa o ente federativo beneficiário de comprovação da aplicação dos recursos financeiros recebidos, que será por meio do Relatório Anual de Gestão (RAG).
Nos casos de desligamento do Programa ou não cumprimento das regras do Programa, o Ente beneficiado estará sujeito à devolução integral dos valores repassados.

O movimento municipalista louva a iniciativa do Ministério da Saúde no apoio à revitalização das Unidades Básicas de Saúde (BS), presentes em sua maioria nos Municípios brasileiros, porém dada as especialidades regionais assim como a diversidade de estruturas e portes existem nesses estabelecimentos de saúde, acredita que o valor proposto seja insuficiente para a exceção das atividades de revitalização das UBSs.

 

Fonte: Agência CNM de Notícias

Share:

Probiótico alternativo para intolerantes a lactose e veganos é criado pela UFC e UFMA

 Foto: UFC

Pessoas com intolerância a lactose ou veganas terão um alimento funcional alternativo a bebidas lácteas para garantir benefícios à saúde e qualidade de vida através do primeiro néctar de frutas probiótico criado pela Universidade Federal do Ceará (UFC), em parceria com a Universidade Federal do Maranhão (UFMA). A invenção conquistou a 13ª carta patente da UFC.

Segundo o Departamento de Engenharia de Alimentos da UFC, os probióticos são bactérias benéficas à saúde humana: “os alimentos que trazem esses microrganismos promovem bem-estar e saúde, em virtude dos nutrientes ofertados e da redução do risco de doenças. Os probióticos estão associados ao controle dos níveis de colesterol, à estimulação do sistema imune, ao alívio da constipação e ao aumento da absorção de minerais, sem contar que ainda apresentam efeitos anticarcinogênicos e anti-hipertensivos”.

A expectativa é de que o néctar probiótico possa ser comercializado pela indústria de alimentos no ramo de bebidas a partir de frutas como cupuaçu, açaí, ciriguela, caju, goiaba, acerola, manga, murici, abacaxi, uva, tangerina, maracujá, cajá e carambola. Com a expedição da carta patente pelo INPI, que dá direito à exploração da invenção pelo seu titular, o próximo passo é a prospecção de empresas do setor de bebidas, dando visibilidade à tecnologia patenteada e ao licenciamento da tecnologia.

Estudos

A escolha inicial para a pesquisa foi o cupuaçu, fruta de alto valor nutricional. Os estudos foram motivados, segundo a UFC, pela busca de uma solução probiótica para pessoas com restrição ao leite na dieta. Alimentos lácteos são normalmente mais propensos à sobrevivência dos microrganismos probióticos.

O maior desafio, segundo as pesquisadoras, é “fazer com que o probiótico mantenha sua viabilidade mesmo diante do baixo pH do produto (alta acidez), o que pode inibir o crescimento desse microrganismo”. A pesquisa iniciou em 2010 e faz parte do doutorado da professora Ana Lúcia Fernandes Pereira, sob orientação da professora Sueli Rodrigues.

Conforme divulgou a UFC, a vantagem de sucos probióticos é dos alimentos também conterem nutrientes como minerais, vitaminas, fibras e antioxidantes, trazendo ainda mais qualidade de vida aos consumidores.

Fonte: Universidade Federal do Ceará

Share:

sexta-feira, 30 de julho de 2021

IFCE inicia capacitações para o Programa AJA



O Programa AJA oficializa a parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará – IFCE, através da Pró-Reitoria de Extensão e do Centro de Referência em EaD – CREaD.

A partir de agora, o IFCE se junta à Sema e à EGP (Escola de Gestão Pública do Ceará), com objetivo de oferecer capacitações aos Agentes Jovens Ambientais, assim como realizar as certificações.

 

Confira as datas das aulas online do IFCE para o Curso de Capacitação do Programa AJA:

– Dia 02 de Agosto (segunda-feira), das 17h às 18h.
Tema: Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS.

– Dia 09 de Agosto (segunda-feira), das 17h às 18h.
Tema: Revisão dos Módulos 1,2 e 3.

– Dia 16 de Agosto (segunda-feira), das 17h às 18h.
Tema: Revisão dos Módulos 4,5 e 6.

 

Todas as aulas serão transmitidas ao vivo pelo canal do Youtube da Sema: https://www.youtube.com/c/SemaSecretariadoMeioAmbiente

Essas aulas serão fundamentais para a elaboração do Plano de Ação Comunitário (PAC) pelos AJAs no Módulo 7, que será liberado em breve.

 

Para mais informações, o Programa AJA conta com suporte técnico através dos seguintes canais:

Fones: (85) 3108 2778 ou (85) 3108 2779 (segunda à sexta – 09h às 12h e 13h às 17h)
E-mail: aja@sema.ce.gov.br

Saiba mais sobre o Programa AJA: https://www.sema.ce.gov.br/projetos-e-produtos/programa-agente-jovem-ambiental/

Share:

Acaraú comemora 172 anos com entrega de 357 títulos de propriedade rural

 O documento simboliza a porta de acesso às políticas públicas estaduais e federais e também garante o crédito rural nos bancos públicos

O município de Acaraú recebeu 357 títulos de propriedade rural nesta quarta-feira (28). A solenidade virtual de entrega alusiva à comemoração dos 172 anos de emancipação política foi comandada por Carlos Bezerra, secretário executivo de Desenvolvimento Agrário; e por José Wilson Gonçalves, superintendente do Instituto de Desenvolvimento Agrário do Ceará (Idace). O evento contou com transmissão pelo Facebook.

“Essa entrega chega como um presente para essas 357 famílias. Este documento simboliza a regularização definitiva da área que todos vocês produzem e vivem junto aos entes queridos”, saudou Carlos Bezerra. “Ter a posse da terra fortalece a nossa economia e Acaraú agradece ao governador Camilo Santana pelo muito que já foi realizado em benefício da nossa população”, saudou a prefeita Ana Flávia Monteiro. 

Em seu discurso, José Wilson Gonçalves recomendou que, respeitando os decretos estaduais de combate ao Covid-19, o documento chegue o mais breve possível às mãos das trabalhadoras e trabalhadores rurais. “A regularização fundiária funciona como um pilar do desenvolvimento porque não se faz nada sem a terra  regularizada. É o documento de posse da terra que abre portas para o investimento público e privado”.

Com o título de propriedade rural registrado em cartório, por exemplo, a agricultora e o agricultor familiar acessam ao crédito dos bancos públicos e ele também é fundamental para o acesso a políticas públicas estaduais e federais. Outras utilidades do documento são a garantia da aposentadoria rural e o acesso ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

“Diversas políticas públicas não-acessíveis, pela ausência da posse da terra, se tornam realidade a partir de agora. A economia local também será outra porque, com a colaboração da gestão municipal, o agricultor registra o papel da terra em cartório e acessa ao crédito rural. E ele se converte em benefício para todo o município”, saudou Rosângela Moura, secretária de Política Agrário e Meio Ambiente da Fetraece

Também participaram da entrega virtual: Luiz Fernando, superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra); o deputado estadual, Moisés Braz; Edson Brandão, secretário municipal do Agronegócio e Pesca; e Edilson Araújo, presidente da Câmara Municipal.

Assista a íntegra da solenidade virtual de entrega de 357 títulos de propriedade rural em Acaraú.

Share:

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

As Mais Lidas do Site

Mudas Frutíferas

Sebrae

Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

Blog do Rogério Gomes

Olhar Munipal com Fábio Tajra

Acordeon para iniciantes

Tempo Agora em Fortaleza

Ouça no Rádios Net

Total de visualizações do Site